O RISCO Festival teve sua primeira edição em 2018, quando ocupou 14 espaços da cidade com artistas de 9 países em uma programação que tratou de [redes afetivas] como eixo curatorial, promovendo uma série de performances, espetáculos, shows e oficinas espalhadas pela cidade e oferecidas de maneira gratuita.

Em 2019, com o ecossistema do setor cultural completamente alterado e a produção artística respirando por aparelhos em um ambiente político ainda mais complexo e polarizado, o RISCO retorna com o conceito Em Casa, trazendo atividades em um espaço próprio e independente no Bom Retiro (a Casa Risco / Quimera Atelier) e incluindo extensões (shows e oficinas) no recém criado Centro Cultural da Diversidade.

Em um ambiente ameaçado por diferentes formas de censura, desmontes e perda de direitos, o RISCO renova suas proposições dentro do conceito do risco artístico e das subjetividades em risco, propondo uma programação que inclui shows, performances, festas, obras em processo, oficinas e conversas, questionando seu próprio modelo como festival e as práticas colaborativas e de autogestão que se fazem necessárias no contexto atual.

O RISCO tem direção artística de Natalia Mallo e Gabi Gonçalves, curadoria de Natalia Mallo e é uma realização da Associação Cultural Corpo Rastreado, com apoio da Embaixada da França - Institut Français, Secretaria Municipal de Cultura, Outburst Americas/British Council  e Ateliê Quimera.


Realização

Apoio